eTwinning

snewsTrata-se da maior comunidade de professores e escolas no espaço europeu. Permite a partilha de ideias e o desenvolvimento de projetos em parcerias internacionais.

Quer criar um projeto com os seus alunos e procura parceiros europeus? A plataforma eTwinning pode ajudar. Trata-se de uma comunidade de partilha de experiências e práticas desenvolvidas em escolas da União Europeia, disponível no endereço: http://www.etwinning.net. Através de um registo, qualquer professor tem acesso ao trabalho de outro colega.

As vantagens? Encontrar projetos em que pode participar, usar recursos educativos, aceder a bastante informação sobre Ciências, História, Geografia, Economia, Tecnologia, envolver os alunos em atividades não apenas fora da escola, mas fora do país, e, sobretudo, aprender e ensinar a colaborar em rede.

Associar para ensinar
Criado em 2005, o eTwinning é uma das várias vertentes de ação do programa europeu Erasmus Plus. O seu principal objetivo é permitir às escolas da Europa associarem-se em atividades pedagógicas de interesse mútuo. Depois, trabalhar em conjunto usando a Internet e as tecnologias de informação e comunicação e, desta forma “promover a consciência do modelo europeu de sociedade multilingue e multicultural”, lê-se no portal da iniciativa.

Fica ao critério dos participantes o tipo de associação que vão estabelecer e quais os seus atores. Por exemplo, entre duas escolas geminadas podem existir intercâmbios de educadores, professores, equipas ou coordenadores, professores bibliotecários e alunos. O programa permite diferentes “associações educativas”, envolvendo não só o corpo docente como os órgãos diretivos.

No entanto, o trabalho tem de resultar numa interação por um longo período de tempo. Tanto melhor quantos mais temas curriculares e disciplinas o projeto versar. Do pré-escolar ao ensino secundário, do ensino público ou do privado, qualquer escola pode aderir ao eTwinning.

Após dez anos de existência, os números da participação no programa mostram mais de 300 mil professores e 100 mil escolas inscritos. O Serviço de Apoio Central do programa insere-se na European Schoolnet [www.eun.org] e resulta de uma parceria entre 30 Ministérios da Educação europeus. Bem mais perto dos professores, os Serviços de Apoio Nacionais estão presentes em 33 países.

Em Portugal essa função está a cargo da Direção-Geral da Educação (DGE). O próximo Encontro Regional de eTwinning acontece a 3 e 4 de setembro, na Escola Secundária de Santa Maria, em Sintra. O evento é gratuito, tem uma duração de 15 horas (ou seja 0,6 créditos) e é organizado pela Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas da DGE, em colaboração com o Agrupamento de Escolas Monte da Lua.

Ver o que foi feito
Como começar? Antes de se registar, vale a pena percorrer o portal eTwinning e conhecer o que outros participantes já andam a fazer. Há projetos de todos os tipos: Ligados às Artes, ao Desporto, às Ciências Sociais, à História e Geografia, à Cultura, Línguas, à Educação Básica, às Necessidades Especiais, à Economia e Empreendedorismo, à Matemática e à Tecnologia. Na secção “Colaborar” mostram-se quais os melhores projetos registados. A ideia é permitir aos “novatos” retirar dos outros a inspiração necessária para começar.

Além de uma espécie de galeria de boas práticas, o portal fornece aos principiantes alguns módulos de atividades que podem ser incluídas em qualquer tipo de projeto. São simples, fáceis de executar e constituem uma boa ajuda para quem ainda está a planear o que fazer.
Veja-se, como exemplo, a atividade “Mentes Criativas: Tomada de Decisões”, que permite aos alunos do 1.º e 2.º ciclo resolver problemas usando o método de Eduard de Bono, ou os “Contos Matemáticos”, onde os professores desvendam aos alunos os números por detrás de uma determinada história. Existem módulos de atividades para aprender línguas, despertar a criatividade, conhecer a cultura de outros países ou usar as tecnologias.

Recentemente foi adicionado um novo módulo intitulado “ Profissão de professor em 2025 – O que nos reserva o futuro?”, que pode ser usado como o ponto de partida para uma reflexão sobre a profissão docente. Existem cinco histórias de possíveis futuros [http://files.eun.org/etwinning/tellnet/Tellnet_module_PT.pdf]. Cada professor tem de avaliar as vantagens e desvantagens de cada um deles, comparando-os com o cenário vivido nas escolas do presente.

Fazer parte do todo
Depois de ficar a conhecer o portal é altura do registo. Pedem-se poucos dados. Apenas o nome, apelido, endereço de correio eletrónico e palavra-passe. Também se pede ao professor que identifique a escola onde leciona de uma lista já existente. Ou adicione a sua, caso não conste da lista.

Nessa mesma seção importa ler o código de conduta que alerta para a salvaguarda dos direitos de autor no que toca à utilização e partilha de ficheiros como textos e imagens. Uma outra chamada de atenção vai para o título Política de Proteção de Dados, que convém ler. Muitas das dúvidas encontram esclarecimentos na secção FAQ’s – Perguntas Frequentes, onde existe ainda um Glossário e estão disponíveis os contatos dos Serviços de Apoio Nacionais.

A inscrição permite o acesso ao Quadro de Bordo, uma janela pessoal que serve de montra para si e para os outros eTwinners. Se a ideia é organizar um projeto, convém procurar um potencial parceiro que cumpra certos critérios. A saber: tema e objetivos semelhantes aos seus; alunos da mesma faixa etária com competência na língua escolhida para comunicarem; e acesso às tecnologias da informação e comunicação na escola.

Usar as ferramentas
O portal disponibiliza um conjunto de ferramentas colaborativas, como o Desktop eTwinning e o TwinSpace. Somam-se a estas ferramentas uma ampla variedade de jogos, recursos e conteúdos didáticos sobre temas como a geografia e políticas europeias, línguas e culturas, ciência e educação ambiental, tudo com conteúdos em Português e nas restantes línguas da União Europeia.

Para começar, porque não experimentar com os seus alunos viajar pelo espaço europeu através de factos e personalidades que viveram ao longo dos séculos e fizeram a história do “Velho Continente” através do jogo “À Descoberta da Europa” [http://europa.eu/kids-corner/explore_pt.html]?. O jogo é dirigido a crianças dos 9 aos 12 anos e tem um livro de apoio cujo PDF pode ser descarregado gratuitamente [http://bookshop.europa.eu/pt/let-s-explore-europe–pbNA0114598/]. Outras sugestões para começar a trabalhar no espírito eTwinning podem passar por um teste aos conhecimentos das línguas europeias em “European Language Quiz”  [http:// ec.europa.eu/languages/quiz].

O portal do eTwinning tem muito para oferecer. Por isso, vai precisar de algum tempo para explorar o seu potencial. Porque não aproveitar as férias? Quando acabar,não se esqueça de dar uma vista de olhos ao Calendário Escolar 2015/2016 dos diferentes países europeus. Face a uma possibilidade de geminação de escolas ou equipas de professores é preciso garantir a compatibilidade entre os períodos de aulas. Assim, quando o ano letivo começar, fica apenas a faltar mais um passo: participar num projeto além-fronteiras.
Mais informações:

Serviço de Apoio Nacional
Direção-Geral da Educação – Ministério da Educação e Ciência
Equipa de Recursos e Tecnologias (ERTE)
Morada: Av. 24 de Julho, nº 140 – 5º piso, 1399-025 Lisboa, Portugal
T: 21 391 0645
E.mail: etwinning@dge.mec.pt
Sítio Web eTwinning nacional: http://etwinning.dge.mec.pt/

FONTE: http://www.educare.pt/noticias/noticia/ver/?id=77009&langid=1